quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Questões sobre Independência do Brasil

Pré vestibular (Independencia do Brasil e período joanino)

01 - (Unifesp SP)
Encerrado o período colonial no Brasil, entre as várias instituições que a metrópole implantou no país, uma sobreviveu à Independência. Trata-se das
a) Províncias gerais.
b) Milícias rurais.
c) Guardas nacionais.
d) Câmaras municipais.
e) Cortes de justiça.
02 - (Mackenzie SP)
As três afirmações abaixo referem-se ao contexto histórico do reconhecimento da Independência Brasileira, conquistada em 1822.

I. O reconhecimento por parte dos EUA, em 1824, obedeceu aos princípios da Doutrina Monroe, segundo os quais os norteamericanos deviam apoiar os movimentos de emancipação no continente e combater toda pretensão européia de intervenção ou recolonização na América.
II. Para o reconhecimento, formalizado em 1825, Portugal exigiu do Brasil uma compensação de 2 milhões de libras e o compromisso de não se unir a nenhuma colônia portuguesa.
III. Uma importante condição imposta pela Inglaterra nas negociações com o Brasil foi a promessa de extinção imediata do tráfico de escravos africanos, condição que, embora gerasse discordâncias, acabou por ser plena e imediatamente aceita.

Assinale:
a) se apenas I é correta.
b) se apenas II é correta.
c) se apenas III é correta.
d) se apenas I e II são corretas.
e) se I, II e III são corretas.
03 - (Uece CE)
“Erguendo a espada, Dom Pedro bradou, solene:
“Independência ou Morte!”. Era uma tarde linda, azul e fresca. A natureza, de certo, a tinha feito assim tão bela para servir de cenário à proclamação da nossa Independência”.
Fonte: MANCHESTER, Alan. Proeminência Inglesa no
Brasil. Brasiliense, 1992, pp. 110-111.

O autor do texto nos sugere uma visão romântica do processo de emancipação política do Brasil. Este processo, que culminou na ruptura com o governo português, no entanto, teve vários desdobramentos diretos.
Como desdobramentos diretos do processo de emancipação política do Brasil são listados os seguintes:

I. O fato de um príncipe português ter decretado o rompimento da colônia brasileira com a metrópole portuguesa.
II. O descontentamento da classe dominante, como a dos fazendeiros do sudeste, por causa da intenção do príncipe de investir na industrialização do país.
III. A proclamação da república brasileira tendo um príncipe português como primeiro regente da nova nação.

Entretanto, é correto afirmar que:
a) Apenas o I e o III são desdobramentos diretos.
b) Apenas o I é desdobramento direto.
c) Apenas I e II são desdobramentos diretos.
d) O I, o II e o III são desdobramentos diretos.

04 - (Uepg PR)
"Por volta de 1817, quem dissesse que dentro de cinco anos o Brasil se tornaria independente estaria fazendo uma previsão muito duvidosa. A revolução Pernambucana, confinada ao Nordeste, fora derrotada [...] a guerra terminara na Europa em 1814 com a derrota de Napoleão. As razões da permanência da corte no Brasil aparentemente já não existiam. D. João decidiu, entretanto, permanecer na Colônia"
(FAUSTO, B. História do Brasil. EDUSP. 1995, p.129).
Sobre o processo da Independência do Brasil, assinale o que for correto.
01. A Revolução Portuguesa de 1820 dividia as opiniões no Brasil. O retorno de D. João VI a Portugal era defendido pela chamada "facção portuguesa". Opunha-se a isso o "Partido Brasileiro".
02. As Cortes tiveram um desempenho ambíguo e contraditório: de um lado, a liberalização da vida portuguesa e a tentativa de eliminar as estruturas do Antigo Regime; de outro, a busca do restabelecimento da subordinação do Brasil, inclusive com a volta de antigas práticas monopolistas. Isto fortalecia o ideário de emancipação no Brasil.
04. A decisão de D. Pedro de permanecer no Brasil representou a escolha de um caminho definitivo de ruptura. As tropas portuguesas que se recusavam a jurar fidelidade a D. Pedro tiveram que deixar o Rio de Janeiro. Esboçava-se aí a criação de um exército brasileiro.
08. A Independência proclamada por D. Pedro I se fez no respeito à soberania do Príncipe e da manutenção da aliança entre brasileiros e portugueses contra as forças populares e os elementos radicais. Saía vencedor nesse processo José Bonifácio, líder da facção mais conservadora.
16. Com a Independência, D. Pedro I desligou-se do trono português e rompeu definitivamente os laços com Portugal.
05 - (Etapa SP)
“Não parece fácil determinar a época em que os habitantes da América lusitana, dispersos pela distância, pela dificuldade de comunicação, pela mútua ignorância, pela diversidade, não raro, de interesses locais, começam a sentir-se unidos por vínculos mais fortes do que todos os contrastes ou indiferenças que os separam, e a querer associar esse sentimento ao desejo de emancipação política. No Brasil, as duas aspirações – a de independência e a da unidade – não nascem juntas e, por longo tempo ainda, não caminharam de mãos dadas.”
Sérgio Buarque de Holanda. “A herança colonial e sua
desagregação”, in: Sérgio Buarque de Holanda (org.) –
História geral da civilização brasileira. O Brasil
Monárquico. São Paulo: Difusão Européia do Livro,
1965. v. 3, p. 9.
De acordo com o texto:
a) a nação brasileira está contida no Período Colonial.
b) primeiro lutou-se pela unidade, depois pela independência.
c) os sentimentos de nacionalidade e unidade não coincidem.
d) primeiro lutou-se pela independência, depois pela unidade.
e) a existência de um mercado interno propiciou a unidade.
06 - (UCS RS)
Analise, quanto à sua veracidade (V) ou falsidade (F), as alternativas abaixo sobre o processo de independência política do Brasil.
( ) Em 1820 eclodiu, na cidade portuguesa do Porto, um movimento revolucionário com as seguintes reivindicações: que toda a família real retornasse a Portugal, que D. João VI aceitasse jurar a Constituição a ser promulgada e que o Brasil voltasse à situação de colônia portuguesa.
( ) Ao retornar a Portugal, D. João VI deixou seu filho, D. Pedro, como príncipe regente do Brasil. Este foi apoiado por grandes fazendeiros e comerciantes que temiam que, sem D. Pedro, a luta pela independência levasse a agitações populares e à proclamação da República.
( ) Sob influência da Inglaterra, Portugal reconheceu a independência brasileira pelo Tratado de Paz e Amizade, assinado em 1825. Por esse tratado, o governo brasileiro comprometia-se a pagar ao governo português dois milhões de libras esterlinas.
Assinale a alternativa que preenche corretamente os parênteses, de cima para baixo.
a) VFV
b) FVF
c) FFF
d) FFV
e) VVV
07 - (Uepg PR)
Sobre a Independência do Brasil, assinale o que for correto.
01. Os grandes proprietários apoiaram a desobediência do Príncipe D. Pedro às ordens das Cortes Portuguesas, pois queriam evitar a recolonização do Brasil.
02. O Sete de Setembro marcou a transformação das condições socioeconômicas do país e seus habitantes.
04. Para a camada social dominante, a Independência significava liberdade comercial e autonomia administrativa.
08. Foi produto de um arranjo político que preservou a monarquia como forma de governo e manteve os privilégios dos grandes proprietários.
16. Foi a concretização de um processo revolucionário, com ampla participação das classes populares.
08 - (Puc RJ)
Sobre as transformações político-sociais e econômicas ocorridas durante a permanência da Corte portuguesa no Brasil (1808-1821), estão corretas as afirmações abaixo, À EXCEÇÃO DE:
a) A vinda da família real para o Brasil transformou a colônia no principal centro das decisões políticas e econômicas do Império português.
b) A abertura dos portos favoreceu os interesses dos proprietários rurais produtores de açúcar e algodão, uma vez que se viram livres do monopólio comercial.
c) A permanência da Corte portuguesa no Rio de Janeiro satisfez os interesses dos diferentes grupos sociais da colônia e trouxe benefícios para todas as regiões do Brasil.
d) Durante o Período Joanino, organizaram-se novos órgãos e instituições, como o Banco do Brasil e a Casa da Moeda.
e) Dentre as medidas que mudaram o perfil político-econômico da colônia, destacaram-se os tratados de Aliança e Amizade e de Comércio e Navegação, que deram benefícios aos ingleses.

09 - (Unifor CE)
A vinda da Corte portuguesa para o Brasil foi, sem dúvida, o fato mais importante do período regencial de D. João, principalmente em relação ao nosso país, tornado, desde logo, sede da monarquia.
(Alfredo d’Escragnolle Taunay. História administrativa e econômica
do Brasil. Rio de Janeiro: Forense, 1969. p. 53)

O período histórico a que o autor se refere representou um marco inicial de uma série de transformações na estrutura política e econômica do Brasil. Do ponto de vista econômico, duas medidas determinaram profunda alteração nas condições econômicas, dentre as quais podem ser citadas a
a) fundação do Conselho de Estado e do Supremo Conselho Militar e de Justiça.
b) fundação da Intendência Geral da Polícia da Corte e do Conselho de Estado.
c) aprovação do Alvará de liberdade de comércio e do Conselho Militar de Justiça.
d) aprovação da Carta elevando o Brasil à categoria de Reino Unido e do Parlamento.
e) aprovação da Carta Régia de abertura dos portos e do Alvará de liberdade industrial.
10 - (Uftm MG)
Há quase 200 anos, a transferência da Corte portuguesa para o Brasil deu início a uma série de transformações, principalmente no Rio de Janeiro. Constituem exemplos de mudanças na economia, política e cultura, respectivamente,
a) a ruptura do Pacto Colonial, a transferência da capital do Vice-Reino para o Rio e a criação da primeira universidade no Brasil.
b) a introdução do cultivo de café, a supremacia do Rio como sede do Império Português e a publicação do primeiro jornal brasileiro.
c) o fim do monopólio comercial, a elevação do Brasil a Reino Unido e a influência de costumes estrangeiros no cotidiano do Rio.
d) o início da dependência à Inglaterra, o estabelecimento do Poder Moderador no governo e o apogeu do estilo barroco nas artes.
e) o alvará de proibição industrial, o fim do sistema de capitanias hereditárias e a fundação da Biblioteca Real na capital.
11 - (Uepg PR)
"21 de janeiro de 1822 – Fui à terra fazer compras [...] Há muitas casas inglesas, tais como seleiros e armazéns de secos e molhados; mas, em geral, os ingleses aqui vendem as suas mercadorias em grosso a retalhistas nativos ou franceses [...] Há padarias [...] a cada porta as palavras Superfino de Londres saltam aos olhos; algodão estampado, panos largos [...] mas, acima de tudo, ferragens de Birmingham, podem se obter um pouco mais caro do que em nossas terras nas lojas do Brasil, além de sedas, crepes e outros artigos da China."
(Texto extraído da obra Diário de uma viagem ao Brasil, de Maria Graham)

A que diz respeito este texto?
01. Ao comércio na sociedade colonial brasileira.
02. Às reformas econômicas do marquês de Pombal.
04. Aos efeitos da mineração, que ligou as várias regiões do Brasil ao mercado externo.
08. Aos efeitos da Abertura dos Portos e dos Tratados de 1810.
12 - (Fuvest SP)
Em novembro de 1807, a família real portuguesa deixou Lisboa e, em março de 1808, chegou ao Rio de Janeiro. O acontecimento pode ser visto como
a) incapacidade dos Braganças de resistirem à pressão da Espanha para impedir a anexação de Portugal.
b) ato desesperado do Príncipe Regente, pressionado pela rainha-mãe, Dona Maria I.
c) execução de um velho projeto de mudança do centro político do Império português, invocado em épocas de crise.
d) culminância de uma discussão popular sobre a neutralidade de Portugal com relação à guerra anglofrancesa.
e) exigência diplomática apresentada por Napoleão Bonaparte, então primeiro cônsul da França.

13 - (Uff RJ)
A transferência da Corte Portuguesa para o Brasil tem sido objeto de intensos e calorosos debates na historiografia luso-brasileira.
Dentre as novidades implantadas pela chegada da Corte de D. João, estão:
I. Maior controle sobre a concessão de sesmarias, via criação da Mesa do Desembargo do Paço do Rio de Janeiro
II. Fundação do Banco do Brasil
III. Criação da Companhia Geral de Comércio do Grão Pará e Maranhão
IV. Criação da Intendência Geral da Polícia
V. Institucionalização do Tribunal da Relação do Rio de Janeiro para julgar as querelas da Província

Assinale a alternativa que reune os elementos identificados com a transferência da Corte Portuguesa:
a) I e II, apenas
b) I, II e III, apenas
c) I,II e IV, apenas
d) III, IV e V, apenas
e) IV e V, apenas
14 - (Ufscar SP)
O comércio da Bahia é muito ativo; esta cidade serve de entreposto para os produtos do sertão, que por ela se exportam para as diversas partes do mundo; motivo pelo qual se encontram em seu porto navios de todas as nacionalidades.
(...) Os habitantes das costas vizinhas trazem todos os produtos de suas plantações para a capital, a fim de trocá-los por mercadorias de diversos países. Essas trocas constantes e ativas rapidamente fizeram da Bahia uma importante cidade, que parece exceder de muito, em tamanho, o Rio de Janeiro.
(Príncipe Maximiliano Wied Neuwvied. Viagem ao Brasil, 1820.)

O acontecimento histórico que está diretamente ligado ao contexto descrito pelo autor foi:
a) a Revolta dos Malês.
b) a independência dos Estados Unidos.
c) o fim do Bloqueio Continental.
d) a elevação de Salvador à capital da Colônia.
e) a abertura dos portos brasileiros às nações estrangeiras.

15 - (Mackenzie SP)
As três proposições seguintes referem-se ao Período Joanino (1808-1821) da história brasileira.

I. A Abertura dos Portos coloniais, ao extinguir o “exclusivo comercial”, beneficiou internamente os proprietários rurais, cuja produção (como a de açúcar e algodão) destinava-se em geral à exportação.
II. Os tratados assinados pela Coroa Portuguesa com a Inglaterra, em 1810, acabaram por dar aos comerciantes ingleses um maior controle sobre o comércio brasileiro, em parte graças à menor taxação sobre mercadorias daquele país exportadas para o Brasil.
III. A Revolução Pernambucana de 1817, de forte caráter antilusitano, manifestou a insatisfação de diversas camadas da sociedade pernambucana em relação à situação da capitania após a vinda da Corte Portuguesa para o Brasil.

Assinale:
a) se apenas I é correta.
b) se apenas II é correta.
c) se apenas I e II são corretas.
d) se apenas I e III são corretas.
e) se I, II e III são corretas.

2 comentários: